quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Escolhendo uma área dentro da sua profissão.



Essas dicas são para quem já está cursando comunicação. Lá pelo 5º semestre você começa a se perguntar (ou já esta se perguntando) em que área atuar dentro da sua profissão?
Costumo dizer que profissão é igual a futebol, onde o jogador precisa escolher em que posição vai jogar mesmo aqueles que jogam bem em todas as posições escolhem uma ou umas para atuar. Na comunicação não é diferente, na minha área, por exemplo, (publicidade) existem varias outras segmentações para atuar, como redação publicitária ou atendimento.
Não é uma tarefa fácil escolher uma segmentação, também não há formula pronta para isso, mas eu vou dar umas dicas que aprendi na marra depois de passar por vários estágios antes de descobrir o que realmente queria fazer.

Escolhendo o que você não quer fazer

Sei que é dificil escolher uma segmentação quando se tem várias opções, foi assim comigo e acredito que deve ser assim com muita gente. A primeira coisa que aprendi foi o que eu não queria fazer da minha vida. Eu não queria nada em que eu tivesse que usar corel draw, photoshop, illustrator e outros softwares de edição e vetorização de imagens.
Cheguei a essa conclusão quando tive que estagiar em uma cooperativa de crédito e lá eu tinha que ser o designer/ilustrador/arte finalista. Quando me candidatei a vaga eu achava que as experiências que havia tido na universidade eram o suficiente para me tornar um. No dia-a- dia do trampo eu me irritava, não com o trabalho, com a exigência que a função me pedia e que eu não tinha o fascínio em aprender.
Ao sair do estagio separei uma lista de coisas em que eu não tinha habilidade ou que não me causavam interesse e comecei a pesquisar sobre as áreas que necessitavam dessas características e fui descartando da minha lista, mesmo que isso significasse ficar um bom tempo sem estágio por não haver vagas na área que eu queria.

Amigos e família são para falar na cara.

Amigos e família conhecem você muito bem, então que tal perguntar a eles quais são seus defeitos e qualidades?
Sei que parece obvio dar essa dica, mas você irá se surpreender com as respostas deles. Coisas que você nem imagina que pensam sobre você irão surgir, assim como as que você já está careca de saber. Isso ajuda na hora de escolher áreas que exigem, digamos, “habilidade humana”. Características como ser simpático, prestativo, paciente são fundamentais em publicidade para ser um bom atendimento. O que naquele momento eu descobri que não era.

Amigos de faculdade e professores também são para falar na cara.

Não adianta, você vai ter que mostrar o que sabe fazer pra essa gente. É igual ao que foi dito na dica acima só que dessa vez é preciso mostrar as suas produções acadêmicas ou trabalhos se você já fez algum.
Essas pessoas vivem o dia a dia do curso e da profissão por isso saberão dar a opinião que você precisa. Faça um filtro antes. Escolha aqueles que você considera os melhores, com opiniões relevantes nas discussões em sala de aula, professores que trabalham na área e não simplesmente só dão aula.

Não é porque você não sabe ou não tem que não poderá ser um dia.
Você não será diagramador, assessor de imprensa ou a área que escolher pro resto da sua vida.
As pessoas mudam, as profissões mudam e você não vai ficar sendo a mesma pessoa sempre. Se hoje você não tem um conhecimento específico ou habilidade para uma determinada função não quer dizer que daqui a algum tempo não terá. Há dez anos a profissão de analista de mídias sociais não existia, portanto estudar sobre o mercado local e global, sobre a evolução de nossas profissões, bater um papo com seus professores e profissionais que já estão atuando na área pode ajudar na tomada da decisão. 

Curtiu as dicas? Então passa o pano em um fanzine que eu fiz nos tempos de faculdade e que da outras dicas bem legais


1 Comentário:

Nelson disse...

e calazans e sempre uma dúvida cruel escolher nosso caminho profissional, ótimas para quem esta na faculdade.

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO